Ocorreu um erro neste gadget

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Biografias dos Autores e História do Hino :







AUTOR e COMPOSITOR
Edwin Smith Ufford
(1851-1929)

Nascido no dia 10 de Fevereiro de 1851, veio a falecer no dia 8 de Dezembro de 1929, em Union, Maine, cidade natal da sua esposa, onde se encontra enterrado em Appletown.

Ufford frequentou a Academia Stratford em Connecticut e o Seminário Teológico Bates em Maine. Foi licenciado para pregar em 1878 pela Primeira Igreja Batista de Portland, estado de Maine, e foi consagrado no ano seguinte pela Primeira Igreja Batista de East Auburn, Maine. Continuou servindo nas igrejas batistas de Alna, em Maine e Canton, Dedham, Hingham, Winchendon, e Willimanset, no estado de Massachusetts.

Suas obras incluem:

- Convert’s Praise

- Life-Long Songs 
- Wonderful Love

- Gathered Gems 
- Life and Light No. 2, with E. S. Fogg & T. W. Barker (Cincinnati, Ohio: 1894)


É dele, também, a composição do hino 259 da Harpa Cristã, "Creio eu na bíbla", em parceria com Wenford G. Schurman (3º verso), em 1909, traduzido por Paulo Leivas Macalão.


COMPOSITOR
George C. Stebbins
(1846-1945)
Nasceu no dia 26 de Fevereiro de 1846 em East Carlton, New York. Faleceu no dia 6 de Outubro de 1945 em Catskill, New York. Encontra-se enterrado no cemitério Maple Lawn em Kew Gardens, Brooklyn, New York.
Estudou música em Buffalo e Rochester, New York e tornou-se professor de canto. Por volta de 1869 mudou-se para Chicago, Illinois, para juntar-se à Produtora Musical Lyon and Healy. Também tornou-se diretor musical da Primeira Igreja Batista de Chicago. Foi alí que conheceu líderes na área de música gospel, tais como: George Root, Philip Bliss, and Ira Sankey.
Aos 18 anos de idade Stebbins mudou-se para Boston, Massachusetts, onde veio a ser diretor musical na Igreja Batista da rua Claredon, cujo pastor da igreja era Adoniran Gordon. Dois anos depois Stebbins tornou-se diretor musical do Templo Tremont em Boston. Logo em seguida envolveu-se em campanha evangelísticas de Moody e outros. Mais ou menos em 1900 Stebbins trabalhou como evangelista na Índia, Egito, Itália, Palestina, França e Inglaterra.
Suas obras incluem:
Reminiscences and Gospel Hymn Stories (New York: George H. Doran Company, 1924)


TRADUTOR
José Teixeira de Lima (J.T.L.)

(Não há informações, no momento)


HISTÓRIA DO HINO

A versão em português, cujo título é FOGO DIVINO, trata-se de uma adaptação feita por José Teixeira de Lima, para o texto original “Throw out the life line”, escrito pelo Reverendo E. S. Ufford, em 1888, que também compôs a melodia. O arranjo é de George C. Stebbins, em 1890. A tradução deste texto foi feita pelo pastor Paulo Leivas Macalão e se encontra no hino Nº. 518, com o título SALVA-VIDAS, utilizando a mesma melodia.

O Reverendo E. S. Ufford, muito conhecido como pregador batista e evangelista, quando observava um treinamento de salva-vidas no Posto do Corpo de Bombeiros em Point Allerton, Nantasket Beach, ficou completamente concentrado na ordem que foi dada: "Atirem a bóia salva-vidas" e a visão do equipamento em ação, combinava com a cena de um naufrágio, como se estivesse ocorrendo naquele momento. Portanto, isso tudo formou um quadro na sua mente, de tal forma que pode elaborar uma melodia que ao mesmo tempo se transformava num hino-sermão. De volta para sua casa, ele escreveu o texto que exteriorizava a inspiração que sentiu naquele momento. Como era cantor e músico, conseguiu sincronizar com perfeição, música e poesia, de tal forma que tudo foi parecido com o que aconteceu a Ira D. Sankey, quando compôs "Ninety and Nine" (As noventa e nove). Em quinze minutos estavam prontas a letra e a melodia. Em 1888 foi publicada a partitura e, posteriormente, adquirida por Sankey, depois de harmonizada por George C. Stebbins, foi publicada no Winnowed Songs, em 1890.

Em português, José Teixeira de Lima (J.T.L.), mudou o sentido do texto original que diz respeito ao resgate de um náufrago. Em vez disso, procurou elaborar um texto envolvendo o batismo com o Espírito Santo, o fogo lá do alto que nos dá poder, graça, luz, o fogo pentecostal que nos inflama com calor, arde em nosso peito e nos dá valor, consumindo todo o mal. Talvez isto tenha ocorrido em razão de haver sido utilizada como fonte outra letra diferente da original, até mesmo em inglês.


Nenhum comentário:

Postar um comentário